Navigation Menu

Gotas de consciência e dosagens de arrependimento


Fonte: Google Imagens. 

Quase sempre maltratamos aqueles que estão ao nosso lado, talvez por serem os únicos que nos entendam e que conseguem nos perdoar.
— Onde Vivem os Monstros.


Havia solicitado um chá de cranberry, o seu preferido, mas o mesmo repousava intocável na mesa. Certamente já estava frio, e uma ou duas moscas já haviam pousado na borda de sua xícara. 

Não bebericou nem um pouco da bebida, desde que a garçonete trouxera seu pedido com um sorriso forçado e ao mesmo tempo cansado.

Ele estava farto de tentar seguir em frente e não conseguir. Sempre alguém, ou alguma situação, o fazia reviver tudo mentalmente. E, o fazia enxergar que: independente dos anos que haviam se passado, tudo ainda estava vívido em sua mente e coração.

“Senhor, algum problema?”, perguntou um jovem sentado na mesa ao lado. O homem meneou a cabeça de modo negativo, mas não pode deixar de perceber os hematomas no rosto do rapaz, e a aparência semelhante entre eles.

Voltou a olhar para a janela, que disponibilizava uma vista sem nenhum obstáculo do trânsito lá fora. Passou um tempo contemplando o emaranhado de carros, mas por fim, dirigiu-se novamente o olhar em direção ao rapaz. E, foi impossível não se perguntar: O que havia acontecido com ele?.

Não demorou muito para os olhares se reencontrarem e o rapaz repetir sua pergunta: “Senhor, algum problema?”, o homem repetiu o movimento de negação com a cabeça. 

Então, foi naquele momento que o homem percebeu que estava perdendo a sanidade. O garoto próximo a ele era ele mesmo mais novo. Os hematomas no rosto do rapaz, a roupa e o cabelo eram os mesmos de um dia que havia mudado tudo em sua vida. Dia este que tentava ao máximo esquecer.

Fechou os olhos e logo depois voltou a abri-los. Olhou em direção ao rapaz, mas como já imaginava, não havia ninguém ali.

Respirou fundo e se levantou, mas sem esquecer o pagamento, deixando-o próximo à xícara. Correu o mais rápido que podia para seu apartamento. Tendo chegado lá, começou a chorar e se lamentar. Passara tanto tempo escondendo quem fora, a forma como havia usado não apenas uma, mas várias pessoas.

Sentiu-se um completo idiota, pois poderia passar a vida toda guardando aquilo consigo, mas isso não diminuía sua culpa e seu sofrimento. 

Por mais que lutasse, sabia que só havia uma forma de mudar o presente maçante do qual vinha vivendo, precisava pedir perdão, pois só assim conseguiria se livrar do passado. Das tantas coisas que fez em busca de atenção, de ser visto e entendido por alguém.

Mas esse era o problema, não sabia muito bem como fazer isso, só tinha algo em mente e não sabia se seria bem aceito. 

“Muitos acabam se perdendo ao tentarem se encontrar. Outros destroem pessoas que costumam amar, tentando fazer com que elas o amem também”, disse ele para si mesmo. E pretendia dizer aquilo também para as pessoas que tanto amou e ama, mas que de alguma forma machucou ao agir tão imprudentemente.

Não sabia se aquelas palavras seriam suficientes. Não tinha ideia se pareceria mesmo arrependido aos olhos delas, mas tinha que tentar. Essa era sua explicação. Era seu ponto de vista, após tantos anos. Ouviria também os dos demais. E assim, pretendia colocar um ponto final no passado. 

29 comentários:

  1. Você escreve magnificamente bem. Almejo o dia em que abrirei um jornal e verei uma coluna ou um crônica sua. 👏👏👏

    ResponderExcluir
  2. Oi, Renato.
    Mais um ótimo texto que leio.
    Não sei o que o personagem do seu texto fez ao certo, mas ele fez a coisa certa: reconhecer seus erros e desculpar-se por eles. Muitas pessoas fazem mal a outras e não se arrependem. Acho que algumas pessoas precisam resolver assuntos do passado que estão pendentes para que assim possam seguir em frente.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Renato! Tudo bem?

    Novamente estou admirada com a leveza que vc consegue colocar em seus textos e mesmo assim consegue nos tocar profundamente.
    Parabéns, ficou magnífico!

    Beijinhos, Ana


    💞Mundo dos Sonhos

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto, mas gostaria de ter obtido mais informações a respeito do protagonista!! rs
    Gosto de entender melhor as coisas... Mas como disse a Ana logo acima: o importante é ele reconhecer seus erros e pedir perdão aqueles a quem feriu.

    ResponderExcluir
  5. Oi Renato.
    Que belo texto! Você escreve com uma clareza e fluidez incríveis!
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Oi Renato
    Sempre escrevendo bem né, quem dera eu soubesse transmitir os sentimentos assim como você.
    E é tão lindo, tão puro, tão sensível.
    Continue escrevendo
    Beijuh

    ResponderExcluir
  7. Seu texto levantou uma reflexão e considero isso um requisito necessário para um bom texto, ainda não havia lido nada seu. Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Oi Renato, tudo bem?

    Seu texto está magnífico, como sempre. A confusão do personagem, sua culpa e suas visões (que apenas refletem aquilo que sua alma está cheia) são apenas uma parte de todos os seres humanos. Todos nós temos algo que desejamos esconder. Óbvio, que alguns possuem coisas mais escuras, enquanto outros são apenas bobagens. Fiquei curiosa para saber o que tanto o pertubava, mas acho legal você dar asas ao leitor.
    Parabéns por conseguir passar tantas emoções!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Que texto maravilhoso, acho que me vi nele, principalmente na parte da confusão. Eu amei, por favor, escreva sempre e parabéns por esse talento <3

    ResponderExcluir
  10. Oi Renato, tudo bem?

    Amei o seu texto <3

    Amei a intensidade como retratou esse momento em que temos que nos encarar depois de cometermos erros e de como isso é difícil. Os sentimentos foram facilmente transferidos pra mim mesma enquanto lia de forma natural...Achei que o seu texto faz refletir! :)

    Beijos! ;*
    ❤ Letras Eternas

    ResponderExcluir
  11. sem duvidas adorei seu texto voce escreve muito bem, como um colirio aos olhos nesta tarde chuvosa, adorei a trama a maneira que ele se depara e resolve reconhecer que errou, como transpor-nos ao lado do personagem e caminhar junto a ele neste conto

    ResponderExcluir
  12. Oi Renato! Adorei seu texto, mesmo mesmo mesmo!
    Você escreve muito bem! Parabéns pelo trabalho que faz nesse blog, está incrível!
    Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  13. A busca por alguma forma de redenção sempre abre espaço para profundas reflexões sobre nossas escolhas. Creio que o protagonista tenha dado o primeiro passo, e talvez mais árduo, admitir o erro.

    Muito bom, Renato! Estarei sempre atento aos seus textos!

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Oi, Renato!
    Buscar redimir-se consigo mesmo, e acima de tudo, é algo difícil, mas também uma forma de encontrar-se, de perceber-se ali, presente, quando parecia oculto.
    Gostei do texto. É sempre bom ler palavras que expressem quão reparável um erro pode ser.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oie Renato =)

    A cada texto é visível o quanto a sua escrita está evoluindo. Um texto melhor que o outro <3.

    Enquanto lia vem vi transportada para suas palavras como se eu fosse parte de uma história.

    Parabéns!


    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  16. Achei meio complexo, fiquei aqui tentando entender.
    Mas adorei a frase inicial de "Onde Vivem os Monstros" *-*

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Tô boba com esse texto... tem gente que é assim mesmo, vive se "escondendo em outras pessoas" e acaba não vivendo de verdade!

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir
  18. Olá, Renato.
    Parabéns por mais esse texto lindo. Acho que pedir perdão é muito dificil, mas reconhecer que está errado é ainda mais e tem muitas pessoas que nunca o fazem. Esse é o primeiro passo.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  19. Oi! Que talento para escrita, leria um livro seu. E que texto hein, perdoar e pedir perdão nos renova e faz com que seguimos em paz. Bjos, obrigada pela visita ao meu blog, seguindo o seu. Bjos ♥️

    Click Literário 

    ResponderExcluir
  20. Oi Renato,
    Lindo texto, muito sensível.
    Parabéns.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Olá Renato,
    Mais um texto excelente, adoraria ver mais textos assim.
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  22. RENATO
    me faz um favor: escreve um livro, cara. Quero um livro todinho de contos seus pra devorar inteiro numa madrugada<3

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
  23. Oi, Renato.
    Caramba, que texto magnífico.
    Nós precisamos pedir perdão pra nos livrarmos da culpa de nossos erros do passado ou então ficaremos eternamente olhando pro horizonte relembrando e remoendo cicatrizes não curadas.
    Muito bom mesmo o texto.
    Abraço.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  24. Oi Renato, temos apenas que apreciar seus belos textos.
    "Muitos acabam se perdendo ao tentarem se encontrar" ♥

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  25. Seus textos são tão lindos <3 sempre me faz refletir!
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Belo texto!

    O blog está em hiatus, mas tem post novo! É um agradecimento à Kibon. Não deixe de conferir. O JJ volta em definitivo no dia 01 de fevereiro!
    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  27. Oi Renato, tudo bem?
    Muito bacana seu novo conto.
    Perdoar a si mesmo, muitas vezes, é mais difícil do que perdoar os outros. E ficar remoendo antigas mágoas machuca mais a nós mesmos, então o melhor é deixar pra trás mesmo.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  28. Gostei bastante do texto, se perdoar é realmente muito difícil.
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  29. Mais um belo e reflexivo texto!
    Renato, você já pensou em selecionar alguns para uma coletania e colocar na amazon?

    Beijinhos
    Pryh
    *~Lírios Ao Mar~*

    ResponderExcluir