Clube dos Cinco

Fonte: Filme "Clube dos Cinco".

Na década de 1980 surgiram no cinema inúmeros filmes com temática juvenil, alguns dos que mais se destacam na cena são: O Rebelde (1985), Clube dos Cinco (1985), Curtindo a Vida Adoidado (1986). Essas obras cinematográficas influenciaram e, atualmente, ainda inspiram muitos telespectadores e quem faz o cinema, sempre trazendo horas prazerosas de diversão e reflexões.

Especificamente no filme “Clube dos Cinco” conhecemos a vida de cinco adolescentes com perfis bem distintos: um nerd (Anthony Michael Hall), um atleta (Emilio Estevez), um valentão (Judd Nelson), uma patricinha (Molly Ringwald), e uma garota com um estilo bem particular (Ally Sheedy). Todos eles estão bem encrencados, pois precisam passar o sábado todo no colégio em uma espécie de detenção, por conta dos seus maus atos.

Nas primeiras cenas fica evidente o propósito da história, que é fazer com que o telespectador consiga compreender a motivação que levou cada jovem a estar ali e ser do jeito que são, ou seja, tudo o que viveram e vivem no ambiente familiar e escolar. E, isso de fato acontece até mesmo com o garoto encrenqueiro (Judd Nelson) que pode até ser um personagem intragável no começo do longa, mas com o passar das cenas se torna um dos mais autênticos personagens, fazendo com que refletimos sobre boa parte do que ele diz, mesmo quando em alguns momentos ele regride novamente em suas ações.

O clima da história é altamente despretensioso, há momentos divertidos, esquisitos e também reflexivos. Achei bacana a ideia do diretor John Hughes, em fazer com que os personagens fossem demonstrando suas personalidades e segredos aos poucos uns com os outros (e também para o telespectador), revelando deste modo que as vezes as aparências, são apenas um tipo de fachada, e todos nós muitas vezes preferimos mostrá-la ao invés de revelar que realmente somos.

O filme brinca muito bem com vários níveis de complexidades, através das diversas características apresentadas pelos personagens, eles trazem à tona algo que rodeia a vida de todos nós, o esteriótipo. Fazendo com que nos questionamos sobre a nós mesmo e os demais, se de fato somos quem afirmamos ser. 

Uma das cenas mais incríveis, em minha humilde opinião, e que expressa muito bem o que disse no parágrafo anterior, é quando todos os personagens estão jogados no chão da biblioteca. Eles começam a contar sobre suas vidas uns aos outros, todos se emocionam bastante ao perceber que estão bem longe de ser o que todos e até mesmo do que eles costumam pensar sobre si mesmo.


Fonte: Filme "Clube dos Cinco".

Mas nem tudo são flores, gostei do filme desde o começo, porém as últimas cenas me decepcionaram um pouco. Presenciei algumas mensagens ditas e mostradas no decorrer da história serem severamente desfeitas, além de alguns acontecimentos terem sido mal inseridos.

Assistir “Clube dos Cinco” de modo tardio me fez enxergar o quanto estava perdendo algo muito bom. Já havia visto “Curtindo a Vida Adoidado”, feito pelo mesmo diretor e roteirista e gostado bastante, e não foi diferente com este filme. O que mais me surpreendeu foi a originalidade no roteiro que sim, possui suas falhas, mas que também é rico em cenas e momentos poucos trabalhados na época e até nos dias de hoje.

Clube dos Cinco é um filme com uma história original e ao mesmo tempo comum. Aborda assuntos muito pertinentes, principalmente para o público jovem e adulto. É o tipo de obra que, apesar de ser antiga, possui temas atuais.


Curiosidades:
1. John Hughes levou apenas dois dias para escrever o roteiro. 
2. Umas das cenas mais marcantes, onde os personagens estão sentados no chão da biblioteca foi feita de improviso. 

Enfim, recomendo. 

Confira o trailer:



Título: O Clube dos Cinco (The Breakfast Club).
Nacionalidade: Estados Unidos.
Ano: 1985.
Elenco: Emilio Estevez, Anthony Michael Hall, Judd Nelson, Molly Ringwald, Ally Sheedy.
Gênero: Comédia, drama.
Duração: 97 min.
Roteiro e direção: John Hughes.
Avaliação: 4/0.

27 comentários

  1. Dois dias para escrever o roteiro? Como assim?
    Ótima dica Renato.

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Aline; em apenas dois dias. Fantástico, né?

      Excluir
  2. Olá Renato. Gostei de conhecer sua página. Minha opinião sobre o Clube dos Cinco, que ainda vi quando era nova é que valeu muito o fato da atuação dos atores que foi muito natural, até mesmo por isso nota-se algumas falhas na obra. De qualquer forma, esses filmes foram marcantes para a nossa adolescência e juventude. Hoje em dia a temática mudou bastante, de forma que ainda sou grata de ter vivido mesmo que nova, no tempo em que filmes como esses eram criados. Não precisava de muita tecnologia para prender o espectador...a naturalidade era o que mais contava.
    Um abraço ;)

    Deh Will
    http://gotasdevalor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Deh. Fico muito feliz que tenha gostado do "Realidade Caótica".
      Concordo com você, tudo é bem mais simples e natural. E, isso passa mais verdade e originalidade ao longa.

      Excluir
  3. Legal seu blog, se puder passa lá no meu, to recomeçando!

    http://legaljunior.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado. Vou passar no seu blog depois ;)

      Excluir
  4. Oi Renato,
    Quero muito ver esse filme.
    Ele está na minha lista da Netflix, mas sempre dou prioridade a outros.
    Talvez eu assista nesse carnaval!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ale.
      Eu te entendo, sempre passava por ele quando entrava no catálogo da Netflix, e deixava para depois. Quando finalmente parei para assistir acabei gostando muito.

      Excluir
  5. Já tinha ouvido falar desse filme, mas nunca assisti, fiquei curiosa para saber mais sobre a história depois de ler o seu post.
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bianca.
      Fico feliz que minha resenha tenha te deixado curiosa em relação a obra. Assista, pois certamente vai gostar.

      Até mais.

      Excluir
  6. Olá, Renato.
    Eu gostei muito de Curtindo a vida adoidado, mas na época que assisti. Creio que se fosse agora não teria gostado tanto. Meu gosto mudou muito e raramente assisto algum filme. Mas gostei da dica, acho bem legal esse filmes antigos que poderiam ser atuais já que ainda acontecem as mesmas coisas.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sil.
      Que bom que gostou da dica. Acredito que se dê uma chance, irá gostar.

      Excluir
  7. Oi Renato,

    Nunca assisti esse filme, confesso que a premissa dele nunca me chamou tanta atenção a ponto de pegar para ver.
    Acho que esse deixarei passar.
    Boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compreendo Jessica. Mas caso um dia dê a oportunidade, espero que goste.
      Até mais. https://realidadecaotica.blogspot.com.br/

      Excluir
  8. Ahhh, eu vi esse filme um dia desses na Netflix. Bem doidinho, não achei láááá grande coisa, mas deu pra divertir um bocado, hehe.

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Suelen.
      Sim, é bem doidinho mesmo rsrs.

      Excluir
  9. O que mais gostei de saber foi das curiosidades Renato. Fiquei interessada em assistir, tanto esse quanto o Curtindo a Vida Adoidado :)

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samara. Fico feliz que tenha gostado. Assista, ambos estão disponíveis no catálogo da Netflix.

      Até mais.

      Excluir
  10. Oie Renato =)

    Ah!!! Esse filme tem a minha idade (Ane velha XDD). Já ouvi muito falar sobre ele, mas ainda não tive oportunidade de assisti, ou posso ter assistido e nem me lembrar mais rs...

    Vou procurar para assisti aqui =)

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem é velha, pare com isso (rsrs)
      Adorei a parte que disse que não se lembra de ter assistido, também sou assim mega esquecido.
      Assiste e depois me conta o que achou.
      Beijos.
      https://realidadecaotica.blogspot.com.br/

      Excluir
  11. Não conheço o filme nem nunca tinha ouvido falar dele, mas agora se tiver oportunidade vou querer ver! :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha ficado curiosa. Caso assista, depois me conta o que achou.

      Excluir
  12. Bela sugestão de filme e muito legal as curiosidades.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Ola Renato!
    Primeiramente, obrigada por sua visita ao meu canto!
    Segundamente, este é sem dúvida um de meus filmes preferidos, muito embora eu não tenha uma crítica tão intelectual e reflexisiva quanto a sua.
    Mas enfim, a cena em que eles estão na biblioteca e cada um começa a expor suas inseguranças e anseios é também uma das minhas favoritas!

    Grande abraço!


    Ps:vou estar seguindo seu blog a partir de hoje!

    ResponderExcluir