Eu estive aqui, de Gayle Forman


Fonte: Editora Arqueiro.



Já havia tido contato com a escrita de Gayle Forman, através da obra Se eu ficar, e gostado da forma ágil e envolvente que autora desenvolveu a história. Mas quando me deparei com Eu estive aqui o que realmente me fez querer lê-lo foi o tema que o drama promete abordar. Afinal, suicídio é um assunto ainda tratado como tabu pela sociedade, infelizmente.

E isso me faz pensar, em quantos casos destes não ocorreriam se o assunto fosse mais debatido, pois seria muito mais fácil compreender o que leva muitos indivíduos a pensar e até mesmo colocar em prática esse ato.

Ou seja, ter um conhecimento mais amplo sobre o assunto, seria o primeiro passo para de fato ajudar, ao invés de ficar horrorizado ou pior, se sentir apto a julgar. 

Preciso mencionar que comecei o livro com altas expectativas? Não, né? Mas não demorou muito para eu me senti um pouco incomodado e frustrado com o que lia. Acho que esperava mais profundidade, mas mesmo assim permaneci firme e forte na leitura. E, espero conseguir transmitir meu ponto de vista sobre ela, da forma mais clara e objetiva possível. 

A escrita de Eu estive aqui é em primeira pessoa, narrada por Cody, melhor amiga de Meg, uma jovem que acaba de suicidar-se, após sua ida para a faculdade.

Cody menciona o e-mail que recebeu de Meg, um dia após seu suicídio. Além de como vem sendo ter que ir a todos os eventos religiosos e fúnebres. Devo confessar que, achei a protagonista um pouco fria. Mas tentei ao máximo não rotulá-la dessa forma, pois ainda estava nas primeiras páginas, e podia está fazendo uma avaliação muito criteriosa, prévia e superficial. 

Com o passar das páginas, o drama vai recebendo aos poucos novos elementos, entre eles: o suspense e romance. Acho que a grande jogada da autora foi essa, pois se o livro dependesse só do drama seguindo o ponto de vista de Cody, não iria funcionar muito bem. 

A história se torna muito mais atrativa, quando a protagonista aceita o pedido dos pais da amiga, Meg. E vai até o campus onde a amiga estudou, com a tarefa de juntar tudo o que era dela e levar para os pais. 

Cody conhece as pessoas que conviveram com a amiga. Não demora muito para ela notar que todos ali, consideravam Meg uma pessoa bem individualista e depressiva. E, por fim ela conhece Ben, o roqueiro que Meg mencionou algumas vezes nas trocas que elas faziam de e-mails. Cody começa a se perguntar, se esse cara tão cheio de si pode ter contribuído com o fim que a amiga deu a sua vida.

Desde ponto em diante, Cody se sente na obrigação de descobrir o que levou a melhor amiga a se matar. E, o motivo para ela nunca ter se abrido com ela. Quando ela recebe o notebook de Meg, a principio não quer aceitar. Diz aos pais da amiga, que eles deveriam guardar, mas após um tempo aceita e começa a bisbilhotar todos os arquivos e e-mails da amiga.

Sua desconfiança sobre Ben aumenta, ao se deparar com um e-mail, onde ele dá um fora em Meg. Mas com o passar do tempo ela percebe que há muito mais, até mesmo pela resposta de Meg ao e-mail de Ben. Cody se depara com um fórum que tem como objetivo incentivar pessoas que querem, mas não sabem exatamente como dar fim a sua vida. 

O suspense tem inicio, quando ela se depara com um usuário que começa a conversar com Meg, e demonstra muito lábia em usar citações de pensadores e autores famosos, associando-as a grandiosidade de dar fim a própria vida. Inicia-se uma busca sem limites, Cody se vê determinada a encontrar a pessoa que considera culpada da morte de Meg.

Apesar, de o livro ganhar maior intensidade quando o suspense é inserido, o drama não se perde, na verdade ele se torna mais fluido. Afinal, Cody começa a compartilhar seus sentimentos de uma forma mais clara e coerente. Acredito que a autora pecou em não aprofundar mais a relação entre Cody e sua mãe Tricia. Pois, talvez isso explicasse a forma como ela era tão cismada com tudo, além da forma como ela e a mãe se tratavam, em pouquíssimos momentos elas pareciam de fato serem mãe e filha; era muito mais fácil aceitar que elas eram colegas que pagavam juntas o aluguel da casa.

Ao todo, Eu estive aqui foi uma boa leitura. Esperava mais profundidade na história, algo que permanecesse do começo ao fim. Mas a autora conseguiu encontrar uma boa linha a se seguir da metade do livro em diante. A mensagem sobre aos poucos vai se tornando clara: é preciso se policiar em relação as suas emoções, e o que as pessoas a sua volta te fazem sentir. A forma como precisamos seguir em frente, diante de momentos dramáticos.

O livro é do tipo que se torna muito mais agradável e claro, ao nos permitimos ler os agradecimentos da autora. De fato, Gayle Forman, quis passar a mensagem de uma forma mais leve. Utilizou-se de uma personagem com sentimentos não tão a flor da pele, como nós costumamos nos depara, quando a história segue uma linha mais dramática. Mas em nenhum momento, Cody me pareceu irreal. Muito pelo contrário, ela uma personagem forte e que aos poucos nos permite conhecê-la. 

E, sobre o assunto que me fez iniciar a leitura com altíssimas expectativas, ele está presente durante toda a história. Não da forma como eu esperava, mas de uma forma mais sutil. Fazendo com que o leitor vá refletindo aos poucos sobre as inúmeras motivações que leva alguém tirar sua própria vida. Perceber que ninguém é mais forte que o outro, que todos nós temos fases ruins, mas o que pode nos fazer diferente é a forma como lidamos com isso, e também com quem buscamos ou não nos abrir. Tudo isso é abordado de uma forma leve, breve e que de certo e aos poucos convence. 

Eu estive aqui é um drama/romance/suspense com começo morno, mas que aos poucos vai seguindo um bom caminho. É uma obra que tem sim suas falhas, mas que também possui seus acertos. É o tipo de leitura que recomendo, mas que seja feita sem muitas pretensões. É isso...

Sou tomada de onda uma repentina e dolorosa de nostalgia. Sinto falta disso. Mas como posso sentir falta de algo que nunca tive de verdade? Recebi tudo isso de segunda mão através de Meg. Como basicamente todo o resto na minha vida. Página: 167.


Título: Eu estive aqui. 
Autor (a): Gayle Forman.
Gênero: Drama, romance e suspense. 
Ano: 2015.
Editora: Arqueiro.
Avaliação: 3/0


You Might Also Like

18 comentários

  1. Já tinha visto esse livro por aí mas não sabia sobre o que se tratava. Livros que falam sobre suicídio sempre chamam a minha atenção, tanto que atualmente estou lendo Os 13 Porquês. Sobre Eu Estive Aqui, ele parece ser ser interessante, fiquei curiosa.
    Ótima resenha, aliás :)

    Epílogo em Branco

    ResponderExcluir
  2. Confesso que li "Se eu ficar" e a história não me prendeu, acabei abandonando o livro. :(
    O que é frustante pra mim... Esse livro parece ser bem interessante!


    bjbj

    http://www.depoisdesonhar.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Renato!
    Eu me interessei pela premissa (também acho o suicídio um tema relevante), mas, diferente de você, não tive uma experiência boa com "Se eu ficar" (achei tudo muito mecânico, entende?), então o trauma me impediu de conferir esse hehe.
    Acho que embarcar em um leitura sem tantas expectativas é fundamental para não nos decepcionarmos. Que bom que, entre altos e baixos, o livro acerta.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Boa noite. Tudo bem?
    Não conhecia esse livro, e pelo que pôde mostrar, parece retratar um tema polêmico que é o suicídio.
    Não esqueça de visitar meu blog...
    Beijinhos ;**
    Espinha Punk!

    ResponderExcluir
  5. Legal seu blog, se puder passa lá no meu, to recomeçando!

    http://legaljunior.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu só li o Se eu ficar e AMEI! Só que ouvi muita gente dizendo que não gostou tanto desse quanto do outro. Diziam tbm que acharam triste demais. Confesso que não fiquei com muita coragem de ler kkk
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Renato.
    Desde de que vi o filme Se eu ficar, fiquei muito interessado nos livros dessa autora, mas infelizmente ainda não li nenhum :(
    Esse parece muito bom, pois acredito que esse tema é bem sutil e pouco explorado.
    Tem drama e suspense, duas vertentes que gosto demais.
    Excelente resenha.
    Abraço.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  8. Olá Renato.
    Eu li 'Se Eu Ficar' e gostei, mas ficou faltando algo para realmente me cativar, sabe? Ai não dei continuidade aos outros livros da autora.
    Mas essa parece uma ótima dica, gostei! Vou colocar na minha lista.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Renato.
    Já conhecia esse livro, mas foi a sua resenha que me despertou a vontade de conhecê-lo.
    Conheço algumas pessoas que cometeram suicídio, por isso acho que esse tema precisa ser debatido sempre e as autoridades precisam dar mais importância para ele.
    Não sei quando, mas lerei esse livro algum dia.

    Abraço!
    Tudo Online
    Participe do sorteio do livro "Febríssima"

    ResponderExcluir
  10. Oi Renato, eu só li Se eu ficar, na época gostei bastante.
    Hoje não sei se tenho mas interesse em ler algum livro da autora...
    Tem um tema suicídio muito forte é um assunto que me chama atenção, mas com certeza é uma leitura que vou adiar fácil.

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  11. Poste seu document your life sim, quero assistir *---*

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Adorei a resenha! Ainda não tinha lido nenhuma sobre esse livro e a sua com certeza me deixou com vontade de realizar a leitura. Gosto de ler livros com temais mais sérios, sabe? Então acho que eu gostaria de Eu Estive Aqui.
    Um beijão,
    Gabs do likegabs.blogspot.com ❣

    ResponderExcluir
  13. Ual! Que historia forte, nem imagino como seria minha reação diante de um acontecimento desses!

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oie Renato =)

    Bem ... como eu tenho um caso sério de decepções com a Gayle Forman nem me arrisco a ler mais os livros dela. Du quatro que li só gostei de um, então =(

    Esse livro em questão parece abordar um tema mais sério, até por que suicídio é algo bem tenso e algo que as pessoas normalmente ignoram. Porém infelizmente essa é uma leitura que vou deixar passar.

    Ótima resenha!

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  15. O livro parece trazer um tema interessante e atual.
    Boa semana! Abraços.

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  16. Oi Renato,
    Suicídio é sempre um assunto forte e muito atual, parece ser bem interessante. Gostei muito da indicação e suas resenhas sempre ótimas!
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Line.
      Verdade, é um tema muito pesado, porém necessário de ser abordado.
      Fico feliz que tenha gostado da resenha <3
      Beijão.

      Excluir
  17. Dessa autora, eu só conhecia "se eu ficar", e até vi o filme. Achei interessante esse outro livro abordar o suicídio! Um livro YA que gostei e também abordou esse tema foi Os 13 Porquês <3!

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir