Navigation Menu

Reverberar

Fonte: Pinterest. 

Havia passado a noite em claro, aquela não era a primeira vez que isso ocorria. Porém, ele nunca tinha perdido horas de sono por causa de alguém, e isso o assustou. Afinal, se considerava imune em relação a esse tipo de sensibilidade extrema para com o outro, mas agora se via indo contra a tudo o que acreditava ser e sentir.


Ao se levantar de sua cama, se deu conta que não só sua cabeça, mas o restante do corpo estava em cacos. Enfim, seria um dia difícil. Se dirigiu ao banheiro o mais rápido que conseguiu, evitou olhar seu reflexo no espelho, pois já imaginava o quanto sua aparência estava péssima. Foi até o box, ligou o chuveiro e tomou um banho rápido, no entanto revigorante. Após trocar-se, encaminhou-se à cozinha, onde optou por uma enorme xícara de café sem açúcar. Enquanto bebericava a cafeína amarga, tentou recapitular tudo o que havia se passado em sua mente na madrugada passada. Seu cérebro não estava funcionando tão bem, como costumava, mas aos poucos ele foi relembrando de alguns pensamentos, e seu corpo todo arrepiado-se simultaneamente.


Pensar daquela forma não se assemelhava com seu perfil, seus familiares, amigos e até mesmo um desconhecido que convivesse com ele por dois segundos saberia disso. “O que está acontecendo comigo?”, pergunto-se. Mas, ao mesmo tempo que se questionava, já sabia a resposta. Ele estava evidentemente apaixonado, justo ele, que sempre se disse isento de tal sentimento; principalmente quando vivenciou a “bela história de amor” entre seus pais ter um fim bastante marcante e violento. E, foi por isso que ele criou esse escudo durante tanto tempo, essa proteção que parecia está diluindo-se, e abrindo espaço para o inesperado, para uma versão sua da qual nunca se permitiu viver. Ele estava tão acostumado a ir contra ao que os psicólogos  e demais especialistas o diziam, ele não queria superar o passado.


Na verdade, não tinha nada contra o amor, pelo contrário, possuía esperanças de encontrar a pessoa certa da qual viveriam  anos ou alguns meses inesquecíveis juntos. Mas, ele queria viver primeiro seus sonhos, as inúmeras viagens, escrever um livro, ir ao show de sua banda favorita, entre tantos outros. Afinal, nunca conseguiu esquecer das palavras que seus pais usaram, quando os ânimos de ambos se acalmaram. Eles sentaram-se à sua frente e então disseram que erraram feio, que haviam aberto mão de tudo um pelo outro. Usaram os termos, como, “sonhos”, “idealizações”, “perspectivas”... Tudo isso foi contado em uma tarde de domingo, como qualquer outra, mesmo assim aquela tarde e as palavras proferidas por seus pais tornaram-se o mantra do menino, que com o tempo se tornara um homem bastante inseguro e emotivo. O homem que agora evitava concordar com si mesmo, quando o assunto era permitir-se amar, quando não havia realizado nem um terço de tudo o que desejava.



8 comentários:

  1. Renatoooooo, olha quem voltei! Espero que ainda lembre de mim o/

    Eu estava com uma saudade de ler a tua simplicidade e doçura com as palavras. É muito bom voltar a bloggar e ainda ter você aqui na blogosfera. Abraços!

    E tô começando um novo projeto, tem pouco mais de um mês, se puder deixar a sua visitinha! Abraços

    http://www.bananices.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Victor. Tudo bem?
      Fico muito feliz ao lê seu comentário, muito mesmo. É claro que lembro de você, como esquecer? haha.
      Vou dá uma olhada agora mesmo em seu novo projeto, certeza que deve ser algo muito bom. Abraços.

      Excluir
  2. Belo texto!
    Saudades das suas postagens.

    Até mais,
    Emerson Garcia

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jovem Jornalista!
      Fico muito feliz que tenha gostado do texto! Cara, eu também estou com muita saudade de blogar, mas estou tendo dificuldades para organizar meu tempo, infelizmente. Até mais.

      Excluir
  3. Seja bem vindo Renato!!

    O texto é ótimo, adoro vim aqui lê-lo.

    Um beijo,

    My Pure Style x My Instagram x My Facebook 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fernanda! Obrigado!
      Fico muito feliz que tenha gostado do texto, de verdade <3

      Excluir
  4. Lindo texto e muito bem escrito...conseguiu transmitir bem suas emoções, gostei!

    http://virtualparadisee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Renato.
    Quanto tempo!
    Gostei muito do texto.
    Seus textos geralmente são muito bons, com grande profundidade de sentimentos.
    Algumas palavras e atitudes ficam marcadas e muitas vezes são difíceis de serem superadas.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir